CULTIVO DE ALGAS



Produtos artesanais feitos com algas marinhas naturais. Sabonetes e géléias.
Associação Maricultura Pitangui - Extremoz/RN
(84) 3182-6231
O potencial do mar para o cultivo de algas virou fonte de renda nas mãos de dois grupos de mulheres do litoral norte potiguar: entre os clientes, indústria paulista e comércio local. Mais do que investir para ganhar até 18 vezes mais do que antes de se organizarem em grupos, elas mostram que “viver é adaptar-se”, sobretudo em regiões onde pouco mais do que a pesca de subsistência garante o sustento da maior parte da população de Rio do Fogo e Pitangui.

Detentor da primeira e única licença ambiental do país para cultivo do algas, o projeto de Rio do Fogo uniu 11 mulheres da comunidade em torno do cultivo de algas em uma área de 10 hectares no mar. Elas já tinham habilidade no extrativismo com outras espécies de algas, de menor valor comercial. Por enquanto estão vendendo só o pó, como matéria-prima para indústrias. O beneficiamento é terceirizado na associação de explotadores de algas local. Erinalva Batista da Silva, 30 anos, mais conhecida como “Regina” diz que sempre foi assim: o marido, pescador, ela catadora de “cisco” (alga). No projeto há pouco mais de um ano, ela diz que o dinheiro ganho com o trabalho das algas ajuda muito em casa.

O cultivo é feito atualmente em 11 balsas, que são estruturas de canos de PVC unidos por cordas em formando quadrados flutuantes, aos quais as redes – chamadas de “cestas” - são penduradas, com as mudas das algas dentro. As mulheres passam até quatro horas dentro d’água, seja para colher as algas ou para fazer reparos nas balsas - nessas horas, há maridos que se empolgam juntam aos dois coordenadores (ambos homens) e ajudam na parte mais pesada. Quando há colheita, o trabalho inclui carregar o paquete, levar até a praia para, de lá, carregar de carroça até a área de secagem. Até dois dias, as algas secam e perdem o tom vermelho, tornando-se pardas. De lá, ensacadas, saem para a moagem. Da trituração vem o pó, que é vendido às indústrias.

Comentários

  1. Olá, gostaria de saber como entrar em contato com esses criadores de algas em Rio do Fogo, gostaria de comprar grandes quantidades dessa alga em pó. Se puder fornecer o número, agradeço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sabe o que é SAPUCAIA?

RAMI